Eu poderia passar horas escrevendo como seria uma noite perfeita.

Aquela regada a muito champanhe e sexo. Você chega no motel com seu par, ambos não têm pressa. Deitam na cama, sentem o cheiro do lençol recém esterelizado, mas o ambiente exala o odor do sexo. Rolam por uns bons minutos, entre beijos, roupas e travesseiros jogados ao chão. Logo as roupas também estão no chão. As mãos se procuram e se encontram nos lugares mais erógenos que possam existir. As línguas tateiam por esses mesmo lugares. O champanhe é estourado e as bocas se aproveitam dele. E daí que sujou todo o colchão? O que interessa mesmo é o prazer. Ah, o prazer… E a noite termina com o casal extasiado, feliz, e dormindo sob o edredon, nus.

Ou pode ser aquela numa balada, seja ela qual for. Rock, pop, samba, hip-hop. O lugar começa a encher lá pela meia noite. As trocas de olhares são inevitáveis; o copo com o drink vai à boca, como forma de sedução. A música começa, cadenciada, rítmica e o corpo vai tomando a forma daquele som. O gelo do copo quase todo derretido, é hora de buscar outro. Quem se importa se a caipirinha custa R$9,00 um copo com 200ml? Lá pelas 2hrs da manhã, estão todo meio embriagados e a bebida já fez o papel dela de Photoshop. E de palhaça também. Os amigos começam a rir de qualquer coisa, o dinheiro pra mais bebidas começa a acabar, a chapinha começa a se desfazer. E lá pelas 4hrs, os casais recém-formados partem para o motel ou lugar deserto mais próximo, enquanto os solteiros partem para a única lanchonete da cidade aberta 24hrs.

Há também a noite com os amigos. Um grupo de seja lá quantas pessoas forem, que adoram se divertir, se reúnem para conversar, rir e contar piadas. Geralmente tem um líder, o que junta a galera toda. E as reuniões são geralmente na casa dele. Enquanto todos perguntam o que vão fazer, alguém sugere um jogo de tabuleiro. O jogo dura várias rodadas e se estende por várias horas. Aí, um indivíduo pergunta de novo o que irão fazer. Um cara sugere que peçam uma pizza. Todos juntam os trocados pra pagar a pizza e o refrigerante. Comer, beber e rir. Alguém pergunta o que irão fazer e a menina sugere uma volta na praia… E a noite segue, sem que tenham feito nada, mas aproveitando tudo.

Existe aquela noite que se passa sozinho. No computador, vendo um filme, comendo. É quando você pode refletir consigo mesmo tudo o que você tem passado. É a noite, considerada por muitos, como a do perdedor. Talvez não seja. Talvez seja por escolha, por vontade de não sair, por falta de dinheiro, de companhia. Talvez seja porque o assunto com seu amigo no MSN seja mais interssante que os assuntos fúteis lá fora. Talvez seja porque a comida da sua mãe seja mais barata que os absurdos nos bares. Ou porque a sua companhia é a que você mais aprecia no mundo todo.

Eu passaria horas em cada uma dessas noites e não saberia dizer qual delas é a melhor.

Anúncios

5 Responses to “”


  1. 1 Leonardo 22 de junho de 2009 às 4:52

    Esse texto me lembrou algumas coisinhas. hahahahaha ;@

  2. 3 Marília 22 de junho de 2009 às 14:27

    Uau!!!
    Que caliente!
    hahahahahaha muito bom marcelis… continue escrevendo :)

  3. 4 Augusto 22 de junho de 2009 às 14:39

    Minha noite do FDS foi a última.
    E ela é tão boa quanto às outras, sim senhor.

    Tem horas que a melhor companhia é você mesmo.

    Tô adorando, beijos kindie.

  4. 5 Leonardo 23 de junho de 2009 às 21:19

    auhehuaehahuehuaeuhaae! Bom saber que eu e uma de nossas noites estão entre suas fontes de inspiração. *=


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: